PROVA DO DETRAN!

Oito Dicas Infalíveis para obter Aprovação no Exame Prático!

Do mesmo modo que na fase teórica, o candidato inicia essa nova etapa com as aulas práticas de direção, que segundo a legislação em vigor devem ser de, no mínimo, 20 aulas para o caso de primeira habilitação. Vamos às dicas!

Dica número 1:
Durante as aulas práticas, procure optar por um instrutor que lhe transmita segurança! Antes de tudo, é importante que o aluno se sinta a vontade com o instrutor e seguro para a realização das aulas práticas. Desde o início e de responsabilidade do instrutor oferecer respaldo e as orientações necessárias para a formação de um bom condutor na prática. Desse modo ele fica encarregado de transmitir desde as noções mais básicas de condução e funcionamento do veículo como também reforçar para que as regras aprendidas durante as aulas teóricas sejam aplicadas no transito cotidiano. É importante que o aluno esteja sempre atento às orientações do instrutor, uma vez que este, além de ser motorista muito experiente e preparado para o cargo que ocupa, já conhece o funcionamento das provas e saberá dar sempre boas indicações.

Dica número 2:
Realize quantas aulas achar necessário, não se sinta envergonhado por ter de realizar aulas extras! A realização da prova prática também é sempre um momento de muita tensão para todos os candidatos, e mais uma vez é imprescindível estar bem preparado para a mesma. Quanto a isso vale ressaltar que, embora o número mínimo de aulas seja estabelecido em 20, não existe um numero máximo, portanto nada impede que o aluno continue a frequentar as aulas práticas de direção como melhor lhe convier até que esteja totalmente seguro daquela prática. Sabemos que existem variações no momento da avaliação em cada cidade. A região onde a prova virá a se realizar, o tempo de duração da mesma, os horários, os avaliadores, a forma como estes se relacionam com os candidatos no momento da prova e etc. Em geral, tudo isso já é de pleno conhecimento dos instrutores, que geralmente já trabalham há certo tempo e conhecem como se dá esse processo. Deste modo, é possível que eles ofereçam ao candidato orientações mais precisas para o momento de avaliação. Durante o período das aulas práticas é muito importante que o aluno seja capaz de se auto-avaliar frequentemente, percebendo em quais momentos ele sente mais dificuldade para que, desse modo, possa utilizar o tempo de aprendizado para se aperfeiçoar e chegar assim mais seguro e preparado para a avaliação. É normal que algumas pessoas apresentem maior dificuldade na aprendizagem que outras e, para estas que encontram um número maior de adversidades, recomendo fortemente o curso Eu Quero Dirigir, é realmente infalível. Caso seja o seu caso, clique aqui e saiba mais.

Dica número 3:
Pratique exaustivamente as tarefas as quais você ainda não se sente seguro ao realizar! É comum, por exemplo, que exista dificuldade para realizar a baliza ou no momento de conduzir o carro em uma rampa. Se esse for o caso, é recomendável que se pratique tais tarefas exaustivamente, até que se obtenha o resultado esperado para a aprovação e obtenção da carteira de motorista. Também nesses casos o seu instrutor provavelmente será capaz de fornecer boas dicas para que você supere suas dificuldades com o carro. Algum truque e macetes também são comumente ensinados durante as aulas práticas. São jeitos de facilitar a compreensão do funcionamento do veículo e formas mais simples de realizar com aptidão as tarefas exigidas no exame. Por exemplo, sentir o ponto da embreagem através da vibração do volante do veículo ou imaginar um ponto do vidro da janela traseira para orientar-se durante a realização da baliza.

Dica número 4:
Procure não realizar as aulas com um único veículo! Tudo isso facilita muito, mas é importante que não fique preso somente a esses truques, pois nem sempre se realiza a prova num veículo idêntico ao que se utilizou durante as aulas práticas da auto-escola. Nesse sentido, muitas vezes torna-se válido pedir ao seu instrutor para que realize aulas algumas vezes em carros diferentes (quando a auto-escola tiver a disponibilidade de diferentes modelos) para que já se habitue a essas pequenas diferenças e se sinta seguro de modo que não gere um nervosismo se vier a se encontrar com um veículo diferente no momento da avaliação.

Dica número 5:
Esteja calmo. Tome suco de maracujá! É muito importante que no momento da realização da prova você esteja calmo e demonstre essa calma ao avaliador. Além disso, muitos avaliadores prezam por um motorista atento e cauteloso, portanto não se esqueça de, ao entrar no veículo, antes de tudo, colocar o cinto de segurança, ajustar os bancos e espelhos e acionar os faróis e ou limpador de para-brisas caso seja necessário. Com isso você já começa causando uma boa impressão ao avaliador e – ainda mais importante – não corre o risco de se atrapalhar ao precisar utilizar os espelhos enquanto faz o percurso da prova. Outra dica muito importante é evitar ansiedade e nervosismo. Estar atento a tudo que deve realizar no momento. Prestar muita atenção às instruções do avaliador é importantíssimo para que você realize as tarefas exatas. Como as provas se realizam no trânsito, um quesito muito importante da avaliação é o seu comportamento. Não se trata somente de conduzir bem o veículo, saber lidar com seus mecanismos e executar a baliza com perfeição. Também será avaliado seu respeito às regras de transito e especialmenteaos pedestres. Portanto, esteja muito atento a esses elementos.

Dica número 6:
Seja prudente. Opte sempre pela direção defensiva! Alguém conduzindo uma bicicleta ou pedestres iniciando a travessia deve ter a preferencia, se passar por uma zona escolar certifique-se de reduzir a velocidade, assim como nas lombadas; respeite as sinalizações e não acione a buzina de forma alguma. Tudo isso serve não somente para causar boa impressão, ser aprovado e receber sua carteira nacional de habilitação, como também para que você seja, desde o início, um bom motorista.

Dica número 7:
Esteja ciente do peso que cada falta apresenta para o avaliador! O avaliador do DETRAN segue uma planilha onde pontua suas faltas durante o exame para, em fim, ponderar se o candidato será ou não aprovado. Portanto, é muito útil saber quais são as faltas: graves, médias e leves, consideradas nesse momento, para que se tenha em mente os erros e comportamentos principais a serem evitados. Cada falta grave representa três pontos negativos, as médias dois e as leves um, e enfim será reprovado o candidato que obtiver três pontos negativos ao longo do exame. Nesse sentido é importante estar atento principalmente às faltas graves, umas vez que elas têm caráter eliminatório. São consideradas faltas graves descontrolar-se no plano, aclive ou declive; entrar na via preferencial sem o devido cuidado; usar a contramão de direção; subir na calçada destinada ao trânsito de pedestres ou nela estacionar; deixar de observar a sinalização da via, sinais de regulamentação, de advertência e de indicação; deixar de observar as regras de ultrapassagem, de preferência da via ou de mudança de direção; exceder a velocidade indicada para a via; perder o controle da direção do veículo em movimento; deixar de observar a preferência do pedestre quando estiver ele atravessando a via transversal na qual o veículo vai entrar; ou ainda quando o pedestre não tenha concluído a travessia, inclusive na mudança de sinal; deixar a porta do veículo aberta ou semi-aberta durante o percurso da prova ou parte dele; fazer incorretamente a sinalização devida ou deixar de fazê-la; deixar de usar o cinto de segurança. As faltas leves e médias podem ser consultadas facilmente no site do DETRAN.

Dica número 8:
Esteja 100% no dia da prova! Por fim, vale lembrar mais uma vez das dicas que devem ser usadas para qualquer prova: boa alimentação, boa noite de sono, estudo e preparação antecipados, chegada com antecedência ao local e muita atenção ao longo da realização do exame. Com tudo isso se tornará muito mais simples alcançar o resultado esperado.